Viagem com filhos, o que deu certo ( e o que não deu!)

Nossa viagem de férias para Florida Keys, com os nossos pimpolhos, foi cheia de acertos (meus obviamente!!!) e alguns erros (todos do Erico, claro!!!!) de planejamento e execução.

Perdoem-me se algumas das dicas ou soluções apresentadas sejam velhas e ultrapassadas para você, mas resolvi citar, pois nem sempre é de conhecimento de todos.

Vou começar com os acertos:

1. A parte do voo até Miami foi quase que perfeita. Fizemos o check in pela internet e ao chegar, foi só despachar as malas e ir direto para a segurança. Como tomamos o cuidado de não levar nenhum líquido acima de 100ml na bagagem de mão, passamos sem grandes problemas.

2. Nossa solução para a mamadeira do Antonio foi uma ampola pronta e descartável da Enfamil que tem 60ml a unidade. Levamos umas 4 para a viagem e funcionou superrrrr bem. Basta acoplar o bico e jogar fora quando termina. Sem sujeira.

3. A idéia de levar todos os produtos que usamos em embalagens miniatura foi muito boa. Acabou, joga fora. Facinho, prático e a gente não fica carregando, aumentando o peso das malas com produtos que não vai usar.

4. Um dos produtos que temos aqui e que eu adoro para viagens é o Shout em lenços umedecidos, que serve para tirar manchas de roupas (quem é que não precisa quando tem criança em casa?) e o Downy Wrinkler Releaser, também em travel size que resolve o problema de roupa amassada. Só jogar o spray, alisar com a mão e melhora consideravelmente a aparência da roupa, sem precisar passar (quem quer passar em viagem de férias?).

Produto para tirar manchas

 

Para tirar o amassado das roupas

Esses são produtos que indico caso você venha visitar os EUA, para comprar e levar na mala. Tem em qualquer Target, Wal-Mart, CVS. Vale a pena!

5. Para resolver o problema de banho no bebê, usamos uma solução meio não ortodoxa, mas funcionou e gostaria de dividir com vocês. Tínhamos no chalé que alugamos, dois banheiros, assim um deles usamos a pia para dar banho no Antonio. É claro, que se você perguntar para ele, não era a coisa mais deliciosa do mundo, mas para um banhinho rápido funcionava bem.

6. Ainda dentro do módulo, soluções para problemas bebesísticos, esterelizar à moda antiga as mamadeiras, fervendo água com as mamadeiras dentro por 10 minutos, também resolveu a logística de levar o trambolho do esterilizador de microondas.

De bom, basicamente foi isso..

agora vamos para o mais divertido e cruel: o que deu errado!

1. Qualquer viagem com mais de 3 horas com um bebê e outra criança é loucura, senão for absolutamente necessário. Nossa viagem começou no domingo às 8:00 da manhã quando pegamos o carro para nos levar ao aeroporto e terminou às 18:30, quando conseguimos entrar no quarto do hotel. Detalhe: o voo, como comentei durou 3 horas apenas, o restante foi o interím entre: esperas, trocas de fraldas, mamadeiras, paradas para comprar comida e finalmente mais 2 horas de carro entre Miami e Marathon.

2. Viajar com bebês de menos de 6 meses é fora de propósito. Eles são seres feitos para ficar em casa, se acostumando com sua cama, horário de comer, dormir… A idéia de tirá-los da rotina, demanda uma paciência e energia extra que você não tem no momento, se tivesse não sairia de férias ok?

3. Ao contrário de seguirmos a nossa cartilha de chegar cedo no aeroporto como na ida, resolvemos passar na casa de amigos para almoçarmos em Miami, o que foi a maior trapalhada, não pela visita em si, mas porque chegamos em torno do meio dia e meia para vê-los, sendo que o voo era às 16:30. Assim, tínhamos somente 4 horas para comer, visitar a casa, devolver o carro alugado, fazer check-in, passar pela segurança, embarcar e…. trocar fraldas, dar mamadeira…. (ufa! estou cansada até de repetir toda essa rotina!).

4. E finalmente, a coisa mais idiota que lembro de ter feito nos últimos tempos e que parece ter saído de um roteiro de filme de comédia.

No dia que fomos no parque John Pennenkamp, o Erico havia decidido ir fazer snorkeling. Eu fiquei entre ir com ele no barco, ficar na praia tipo Piscinão de Ramos ou o mais difícil de todos: ir num passeio barco com mais 150 pessoas, sendo que o barco tinha um chão de vidro, com um buraco cercado somente por corrimões. 3 horas de terror, com duas crianças, no horário medonho das 5, 6 horas da tarde (quem tem filho sabe do que estou falando. É o momento que os bebês se transformam nos monstrinhos do filme Gremlins, entendeu???)

O Gustavo entrou lambendo todo o corrimão… (naquele dia era a terceira viagem do barco!), eu carregando o Antonio no carrinho que teve que ser deixado na entrada…

Meia hora depois o Antonio queria mamar (no peito, pois esse era o horário do mamar para dormir…) e o Gustavo queria comer também e eu… queria vomitar, pois comecei a ficar seriamente enjoada com o chão de vidro. Deu para imaginar????

Eu dava comida para o Gus, segurava a mamadeira do Antonio com o queixo, me equilibrava entre o banco e o buraco de vidro e segurava a minha boca para não soltar os bofes. Depois de fazer a minha obrigação de mãe e amamentar eles, pedi para um senhor que brincava com o Gus para olhar ele para eu “poder” passar mal.

Nesse momento a minha raiva pelo Erico aumentava consideravelmente, pois imaginava ele vendo os peixinhos e corais no fundo do mar e eu ali…naquele momento surreal.

Sem obviamente contar, o meu pavor quando a comandante começou a falar os procedimentos de segurança e eu fiquei pensando que se acontecesse algo, eu teria que escolher qual dos meus dois filhos salvar. Quer mais ou está bom para você?

Tem mais…quando pensei que havia acabado o pesadelo, pois o passeio havia terminado, saio do barco com toda a minha bagagem e sei que o Erico está para chegar do passeio dele ao mesmo tempo. Assim, vejo o barco dele ancorando e o pessoal, com aquele sorriso irritante no rosto, de quem adorou o que fez, saindo um por um… e eu procurando entre as cabecinhas que saíam, o meu maridinho querido, para poder despejar todo o meu descontentamento, por assim dizer, em cima dele. E cadê o homem?

Saiu todo mundo e então avisto o capitão. Eu, meio que apavorada já, pensando que tinham esquecido ele no mar, pergunto se todos haviam saído. Ele acena que sim (mas acho que viu a minha cara de pavor ) e logo falou: daqui há uns 15 minutos chega o outro barco de snorkeling, ok?

O medo passa, e volta a vontade de descontar nele a minha “alegria” de revê-lo. Em suma, para não tirar o sorriso do rosto dele tão rápido, fiquei em jejum de palavras por algum tempo, para o meu fervor abrandar e deixar que ele cuidasse com ainda bastante prazer dos dois pequenos (pelo menos nos primeiros 15 minutos).

Então voltamos para o hotel, com a cantoria de choros e em seguida, de roncos (aleluia!!!) dos nossos anjinhos, pensando que amanhã começava tudo de novo…

Um comentário em “Viagem com filhos, o que deu certo ( e o que não deu!)

  • abril 1, 2011 em 7:21 pm
    Permalink

    Adorei Paty, me acabei de rir !
    abraços e beijinhos nos fofinho…
    beijos,
    Marisa

    Resposta
    • abril 1, 2011 em 11:02 pm
      Permalink

      Um bj ao seu fofinho também e obrigada pelo prestígio! Carinhos a todos aí na DRIL!

      Resposta
  • abril 1, 2011 em 7:34 pm
    Permalink

    Paty!
    Saudades…
    Eles estão lindos!
    Adorei! Muito engraçado a parte do barco (quer dizer agora é engraçado, mas imagino como na hora não deve ter sido nada legal…)
    Valeu pela dica dos produtos de viagem, não conhecia e vou comprar qdo for ai.
    bjs,

    Resposta
    • abril 1, 2011 em 11:01 pm
      Permalink

      Oi Pri! Como estão o Lucas e a Bruna? Imagino que grandões e lindos né? Sobre os produtos quero fazer um post dedicado a produtos que acho legal por aqui e que são fáceis de serem levados para o Brasil. Bjs

      Resposta
  • abril 1, 2011 em 7:58 pm
    Permalink

    Paty!
    Hilário…tragi-cômico…divertido…experiências compartilhadas…Me coloquei no teu lugar…Você é uma HEROÍNA!!!
    A parte do Gus lambendo o corrimão do barco depois de 3 viagens foi show!Só uma mãe para reparar nisso…duvido que algum pai perceba a cena…
    Beijos para vocês todos!O Antonio está muito parecido contigo!!!

    Resposta
    • abril 1, 2011 em 11:00 pm
      Permalink

      Heroína nada Lu, sobrevivente mesmo. Não tinha escolha, a gente tem que se virar nos 30!

      Resposta
  • abril 2, 2011 em 2:11 am
    Permalink

    Amiga,há tempos estou para escrever aqui e hj finalmente consegui , parabéns pelo blog ,sempre que posso dou uma espiada aqui !!! Adorei esse post, me diverti e juro que imaginei a cena..

    Gde beijo a família
    Saudades

    Resposta
    • abril 2, 2011 em 4:08 pm
      Permalink

      Como estão o Gui e a Marina? Imagino que fofinhos ne? Adorei te “ver” por aqui e tenha certeza a cena foi tão ou mais esdrúxula que a descrita no post.

      Resposta
  • abril 2, 2011 em 3:52 pm
    Permalink

    Paty….a parte do barco foi a mais trágica e claro, a mais cômica. Amei!!! hahahah Esse negócio de lamber o corrimão é com os pequenos mesmo né? A Ana Julia faz isso direto no ônibus. Além de lamber os vidros também. Faz a limpeza toda do transporte. Uma beleza!!! hahah
    E outra coisa, eu não queria ser o Erico quando te viu depois do passeio dele…só isso!!! hahaha Mas eu também teria a mesma reação que tu!!

    Resposta
    • abril 2, 2011 em 4:10 pm
      Permalink

      Sei lá Ana, não entendo porque. Será que é o gosto do metal? A próxima vez vou comprar vegetais sabor metal de corrimão.

      Resposta
  • abril 5, 2011 em 6:23 pm
    Permalink

    Pa, parabens…. pois mesmo com 2 criancas voce ainda nao abriu mao de esterelizar mamadeiras, passar roupa e tirar manchas indesejaveis….
    A minha crianca de 3xxx me fez abrir mao desses detalhes ha muito tempo!!!!
    Beijos

    Resposta
    • abril 6, 2011 em 1:15 am
      Permalink

      Não entendi o 3xxx, mas a verdade é que a gente dá um jeito em tudo…

      Resposta
  • abril 6, 2011 em 12:23 am
    Permalink

    Que saudades minha linda!!!
    Muito cômico este passeio, acho que vc deveria repeti-lo muitas vezes, assim sairia mais da rotina rsrrsr, seus filhos estão muito lindos, bjs em todos, Karin!

    Resposta
    • abril 6, 2011 em 1:16 am
      Permalink

      Obrigada Kaka… demorou para vc aparecer por aqui. Carinhos a suas “pequenas”…

      Resposta
  • dezembro 13, 2011 em 3:31 am
    Permalink

    Paty, estou rolando de tanto rir com seus posts…havia muitos que não tinha conseguido ler e hoje (Davi dormindo, Ale viajando, e uma insonia danada!!!) resolvi le-los!!! Foi o máximo!!! Otimos!!!! e Escandalosamente REAIS!!!!! Sds. bjos

    Resposta
  • fevereiro 22, 2012 em 3:01 pm
    Permalink

    Olá Paty,
    Acabei de conhecer o seu blog (pesquisando sobre as Floridas Keys – nosso destino de férias para maio com o meu baby de 1 ano….) e estou me deliciando de tanto rir com os seus posts!
    São ótimos! Parabéns!!!!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *