Quando o carteiro chegou e o meu nome gritou!

Aqui na Suíça, uma das coisas que mais se usa são os correios. Para terem uma idéia, há muitas lojas pela internet e a maioria entrega pelo correio. Desde roupas, móveis, fotografias, cápsulas de café, câmera fotográfica. Eu nem preciso pagar antes para receber. Somente espero o produto chegar, que junto com ele vem uma fatura no meu nome com o valor da mercadoria. Já encomendei fotos, móveis e cortina pela internet. Outro detalhe é a caixa de correio. Nela há um espaço para os pacotes maiores, além da caixa onde vai as correspondências de envelope. Neste espaço não há como fechar, deixar chaveado. Mas mesmo assim, nunca tive problema de furto.

Na primeira vez que o correio apertou o interfone aqui, eu atendi e abri a porta do prédio para o carteiro entrar. Então vi que ele não aparecia (moramos no quarto andar) e depois de um tempo tocou de novo o interfone. Aí eu já tinha feito bobagem. O carteiro me xingou e disse que tava com pressa. Bah, na hora pensei: “Tá, então porque não sobe logo?”. Foi então que eu coloquei casaco em mim e na minha filha (era inverno) e desci para ver o que ele queria entregar. Neste caso, eu precisava assinar, mas nem me lembro mais o que era. Enfim, quando cheguei na porta do prédio ele já veio de “sola” perguntando se eu era a Frau Souza. Confirmei e ele perguntou se eu era espanhola (sempre perguntam isso). Daí, quem tava começando a perder a paciência era eu. E já fui dizendo: “Sou brasileira, porque?” Daí ele começou um discurso dizendo que ele tinha outras coisas para entregar e eu tinha que descer e não ele subir e blá, blá, blá….e quando terminou, ele virou as costas e ainda disse: “Estes estrangeiros!”.

Bom…mas na verdade eu quero falar da parte boa dos correios. Esse caso do carteiro cretino foi uma vez só (até porque, aprendi bem rapidinho que tenho que descer) e os outros sempre foram muito legais.

Outra coisa que foi enviada pelo correio foi a marcação de um exame que fui fazer num centro de radiologia. Na consulta da minha ginecologista aqui, ela disse que pediria um exame para ver se eu tenho condições de ter o segundo filho de parto normal (calma, não estou grávida, mas como eu disse que a minha filha nasceu de cesária porque era muito grande e não tive dilatação suficiente, ela já foi logo pedindo este exame). Perguntei para ela onde eu ia para marcar. Ela me olhou e disse que eu não precisava fazer nada. A secretária dela entraria em contato com o local do exame e eles enviariam, por correio, as informações. Dois dias depois da minha consulta chegou a correspondência do centro de radiologia, com a informação de data, hora e tudo o que eu precisava fazer para realizar o exame.

Assim como no Brasil, eles adoram colocar propaganda na caixa de correio. Mas você pode colar um adesivo ou deixar a plaquinha que vem em algumas caixas de correios dizendo que não quer receber propaganda. E os carteiros e entregadores de panfletos respeitam. Pelo menos aqui em casa tem sido assim. Como trocaram a caixa de correios depois da reforma no prédio, nela já vem uma plaquinha dizendo que não queremos propaganda. Mas se quisermos receber (como é o nosso caso) pode mexer nela e “esconder” o lado que diz para não colocar.

Adesivo avisando para não colocar propaganda. Fonte: http://commons.wikimedia.org

E outra coisa super importante e que deveria ser adotado no Brasil, aqui os carteiros e carteiras não carregam aquelas sacolas pesadas e nem vão entregar as correspondências a pé. Aqui eles vão de moto ou de furgão (neste caso, para mercadorias grandes ou entregas urgentes). E a moto tem um protetor para não pegar muito frio nas pernas. Porque a sacanagem que fazem com os carteiros no Brasil é demais. Neste fim de ano, que fomos para Santa Maria – RS, dava muita pena do carteiro responsável pela rua dos meus pais. Coitado, era um sol de rachar o coco e ainda tinha que carregar a bolsa mega pesada. E caminhando!!!!

9 comentários em “Quando o carteiro chegou e o meu nome gritou!

  • fevereiro 24, 2011 em 6:19 pm
    Permalink

    Oi Ana,

    muito engraçada a história do carteiro cretino!!! é assim mesmo, outra cultura, mas como você disse foi só uma vez!!!
    Aqui no Brail Já vi em cidades maiores os carteiros entregando as encomendas de moto e de bicicleta, então acho que depende do fluxo de cada cidade, mas certamente deve ser muito difícil para os carteiros que andam a pé, ainda mais no calor daqui de Santa Maria!!!

    bjão!!!

    Resposta
    • fevereiro 26, 2011 em 10:04 am
      Permalink

      Ai Andreia….agora eu também dou risada, mas no início era uma atrás da outra….hahahah Já dei muita furada aqui…hahah
      Olha…se tu viu em cidades maiores os carteiros de moto e bike, fico bem feliz. Espero que isso chegue logo em SM.
      Beijão,

      Resposta
  • fevereiro 25, 2011 em 11:52 pm
    Permalink

    Preta!Adorei esta história do carteiro…eu e a mãe demos risada porque far[íamos exatamente a mesma coisa kkkk e com certeza levaríamos bronca tbém!!
    mas primeiro mundo é assim mesmo…e o bom é poder vivenciar isto né??
    Adoro ler teu blog…me divirto.. e tens o dom da oratória,então é muito bem “te” ler!
    Beijão de todos nós!

    Resposta
    • fevereiro 26, 2011 em 10:06 am
      Permalink

      Paty….olha, este carteiro nunca mais vi. Agora que eu aprendi a lição ele não veio mais me entregar nada….hahaha Olha minha amiga…tem cada coisa que já passei. Aprendi muito, ri também…na hora a gente fica doida de raiva, de indignação, mas depois se diverte com a situação.
      Beijão em todos!!!

      Resposta
  • abril 11, 2011 em 1:38 pm
    Permalink

    Que carteiro mais antipático: ele podia ter subido, entregue o pacote, e avisado que da próxima vez você deveria descer, nao? Aqui na Alemanha (morei em Düsseldorf e agora moro em Aachen), os carteiros sempre vêm até a porta para se assinar algo.
    Beijocas, Angie

    Resposta
    • abril 11, 2011 em 2:00 pm
      Permalink

      Que diferença…..bem melhor vir até a porta. Facilita muito mais a nossa vida e eles nem perdem tanto tempo assim.
      Beijos,

      Resposta
  • setembro 9, 2013 em 4:19 pm
    Permalink

    boa tarde

    Sou de Faro e sou carteira há 12 anos gostei muito de conhecer esta faceta dos correios aí. tenho uma encomenda de roupa para mandar para Zurique para e tenho medo que seja roubado. diga-me uma coisa: eles entregas pelo nome da pessoa ou pela morada que está escrita?(é que é para um menino que agora foi morar para aí.) Quando é registado, eles tocam sempre à campainha? grata pela informação e bjs

    Resposta
    • setembro 9, 2013 em 5:32 pm
      Permalink

      Oi Monica,
      fique tranquila que é bem difícil alguém dos correios daqui roubar a mercadoria. As encomendas são entregues no endereço. Se a pessoa não estiver, outra pode receber. Quando é registrado, eles sempre tocam a campainha e a pessoa que recebe precisa assinar. Mas se não tiver ninguém em casa, o carteiro deixa um bilhete informando em qual agência o pacote pode ser retirado e até quando. Neste caso, somente a pessoa na qual a encomenda está endereçada é que pode retirar. Beijos

      Resposta
  • janeiro 4, 2015 em 1:25 am
    Permalink

    Minha querida o correios não sobe até o apartamento da pessoa pra entregar, a pessoa que deve buscar a correspondencia se ela mora em predio ou algo com mais de 1 andar.

    Isso é normal aqui no brasil e creio ser igual aí também…. abços…

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *