Você está convidado para um aniversário americano!

Como mãe de um filho na pré-escola aqui nos EUA, ele é convidado para muitas festinhas de aniversário dos coleguinhas dele.

Esses eventos aqui são muito diferentes dos nossos brasileiros. Apesar de serem em espécies de bufês(pode ser numa escola, clube de ginástica…), como a maioria das festas que acontecem em SP, e terem horários pré-determinados de início e fim, algo que no sul do Brasil ainda é uma coisa que estranhamos, elas rigorosamente acabam com 90 minutos ou no máximo 120, dependendo do que reza o convite.

Aliás, a forma de convidar também é diferente. Você recebe com uns 30 dias de antecedência um SAVE THE DATE, ou seja, recebe-se um email pedindo para a gente reservar essa data para a festinha de aniversário do filho. Só depois vem o convite.

Mesa só para crianças e a festa em si é invariavelmente composta por: uma atividade (música ou animais ou mágica, etc…) que dura 1 hora, em seguida somos chamados para sentar, tem sempre pizza de muzzarela vinda do delivery, salgadinhos de pacote para a gente se servir, suco de caixinha para as crianças e algumas vezes cenoura e aipo com molho para os adultos. Além do bolo de sorvete repleto de chantilly. Delíciaaaaaa!!!!!!!

Sobre os quitudes, tenho uma história hilária e que quase me mata de vergonha com o Gus. Ele não é acostumado com essas comidas e numa das primeiras festas que fomos, ele foi provar o bolo e assim que colocou na boca soltou alto: “Urghhhh! Horrible mammy!” e não parava de repetir. Tive que arrancar ele da mesa, pois estava me deixando sem graça com a sinceridade.

Outra coisa que me pegou desprevenida, foi em relação a forma de se vestir para a festinha. No Brasil, a gente capricha, mesmo sendo para crianças. Na primeira  festa, eu coloquei salto, me maquiei…e me senti super mal. Todas as mães estavam com a mesma roupa que elas pegavam as crianças na aula. Inclusive a mãe do aniversariante.

E pontualidade então, essa eu pisei na bola feio. Como a festa tem tempo contado, tem que chegar na hora mesmo. Nem cinco minutos atrasado! Na festa de 2 anos do Gus, eu marquei 1h da tarde e me atrasei para me arrumar e ao Gus e cheguei no salão de festa 10 min atrasada. Já tinha metade da festa de convidados chegado. Uiiiii!!!!

E quando finalmente dá 90 minutos, as pessoas, digo, os donos da festa, vão se encaminhando para a porta e guardando cadeiras, jogando pratos fora e dizendo tchau, obrigada!

Agora já acostumei com isso, mas era meio assustador e sempre ficava com fome, esperando algo gostosinho que viria.

Os aniversários do Gustavo que passamos aqui, eu me nego a fazer no esquema americano. Faço brigadeiro, coxinha, bolo à la brasileira (tem fornecedor brasileiro de tudo por aqui!) e só me deixei adaptar pelo esquema do horário de início e fim (sem obviamente tocar ninguém para fora!).

Outra coisa diferente da gente, mas que nesse caso acho legal, é que mandam sempre um cartão ou email de agradecimento pelo presente. Mas não generalizado e sim: “Obrigada pelo adorável quebra-cabeça do Toy Story que o Gustavo deu para o Fulaninho. Ele adorou e tem brincado sempre.” Acho delicado e também incorporei as nossas festas.

Não vou negar que rola uma tentação de simplificar o nosso trabalho, pois a gente faz festa temática, cheia de idéias de lembrancinha… gastamos fosfato e dimdim mesmo, e a nossa festa é muito também para os adultos.

Agora também já entendo que essas experiências fazem parte do viver fora do seu país de origem, aprendendo a respeitar seus costumes, mas ao mesmo tempo, não necessariamente se submetendo ao esquema e preservando a nossa identidade. Especialmente pelos meus pequenos, que merecem uma festa para lembrar e de preferência não pasteurizada. Mas não prometo que na próxima festa eu não me renda a praticidade americana, sei lá né? Nunca diga nunca!

Ah, vai uma cenourinha aí?

Para provar que as festas do Gus tem brigadeiro…

 

coxinha, bolinha de queijo, pastel….

Um comentário em “Você está convidado para um aniversário americano!

  • fevereiro 5, 2011 em 10:23 am
    Permalink

    Nossa voce descreveu exatamente o que faco nas festas de aniversario da minha Laura…..Ainda tenho q colocar o aipo e a cenoura porque o paladar dos americanos e muito diferente do nosso…mas adoro depois q acaba a festa e ficam so os brasileiros e sempre fazemos uma after party em casa…e essa nao tem hora pra acabar!

    Resposta
    • fevereiro 5, 2011 em 1:51 pm
      Permalink

      Para provar que essas festas são realmente pré-formatadas!

      Resposta
  • fevereiro 5, 2011 em 1:04 pm
    Permalink

    Festinhas adoraveis, mas as criancas se divertem pelo que sei. sempre tem algo para divertir os baixinhos, e os marmanjos que esperam poderiam tomar umas cervejinhas comer um petiscos seria tbem divertido,hihihihihi.

    Resposta
  • fevereiro 6, 2011 em 7:53 pm
    Permalink

    Minha amiga….realmente cada vez que leio um post teu tenho a absoluta certeza que no hemisfério norte é tudo muito parecido…só muda o continente. Aqui também o estilo aniversário de criança é bem deste jeito que tu descreveu. O primeiro que fui, fiz o mesmo que vc. Me arrumei toda, coloquei roupa bonita, me maquiei….cheguei lá, a mãe do aniversariante estava de PANTUFA…acredita? E eu me senti fora da casinha, completamente. Fora que o que servem é de dar dó. As festas brasileiras são muuuito mais regadas a comida e bebida. Aqui eles servem chips, bolo de mercado, petisco suíço (queijo branco com manjericão e tomate cereja no palitinho) e refris. Bebida alcóolica?? Nem pensar. A festa é para as crianças mesmo, nada para os adultos. Com horário para começar e terminar também (o que eu acho bom!!). Mas neste ano começamos a comemorar o aniversário da Ana Julia na escola. Mas lá eles determinam o que temos que levar (1 tipo de bolo, refri e 1 tipo de salgado). Bom…pelo menos facilita o meu trabalho, já que aqui não temos este serviço maravilhoso que fez a festa do Gus. Mas em casa, quero fazer uma festinha mais brasileira!!!
    Beijos

    Resposta
    • fevereiro 7, 2011 em 12:52 am
      Permalink

      Por um lado, bem mais prático. Sei lá, é o que digo a gente tem que respeitar a cultura, mas não pode perder a identidade. ENtão, dá-lhe festinha com coxinha e brigadeiro.

      Resposta
  • fevereiro 7, 2011 em 12:27 am
    Permalink

    Paty…como dissestes, parecido a São Paulo…meio impessoais…Ano passado prometi a Sofia duas festas…uma em Blu e outra em Campinas…Imcomparáveis!!!Em tudo…
    Por isso este ano, optamos por uma só comemoração, em Blu…E aqui, Sofia convidará as melhores aminguinhas para, quem sabe (ainda estou estudando) uma festa do pijama!
    Beijos, Lu

    Resposta
    • fevereiro 7, 2011 em 12:56 am
      Permalink

      Para a gente que está acostumada com as festinhas do sul, totalmente pessoais e personalizáveis, no salão de festas do prédio, realmente não curte muito as festas mais padronizadas. Mas entendo, que na correria de uma grande cidade as festas de bufê mais “quadradinhas” funcionam melhor. Bjs e boa festinha para a Sofia.

      Resposta
  • fevereiro 7, 2011 em 12:31 pm
    Permalink

    Oi Paty, então os padrinhos da minha pequena moram em Cordoba na Argentina e também fizeram a festinha da filhota deles lá, eles fizeram como no Brasil mesmo e os convidados ficavam perguntando qdo será o proximo aniversário e se convidando tipo me convita tá, porque lá também servem snacks industrializados e com horário pra acabar e festa e só pra criança mesmo. Meus amigos disseram que divertiram muito com a alegria dos argentinos, pa crianças.
    Sobre mandar um agradecimento após o aniversário, fiz isso no niver da Gica de 4 anos, como ela não abriu os presentes, pude saber quem mandou o que, daí mandei um cartão com um pirulito agradeçendo, foi o comentário após a semana. Mas aqui no nosso Brasil também tem coisas diferentes não é mesmo? Minha sogra (mora no interior de são paulo) achou muito estranho servirmos café com leite no niver. Em Brasilia a festa começa com cantar de parabéns, e daí que comem os doces; aqui em Jaraguá é no meio da festa, servindo antes salgadinhos, e após o parabéns çiberado os docinhos.
    No interior de SP, comem tudo antes, menos o bolo que é a última coisa com o parabéns, deve ter outros costumes que não conheço. E pros adultos como é? beijo grande

    Resposta
    • fevereiro 7, 2011 em 1:55 pm
      Permalink

      Festa de adulto americana eu nunca fui…a gente acaba se relacionando mais com os brasileiros e daí a festa é brasileirinha mesmo.

      Legal saber dessas diferenças, mesmo no Brasil. Nosso país é muito grande e é claro que teremos formas diferentes até de comemorar nossas festas.

      Bjs e obrigada pelo comentário Ana!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *