O primeiro trimestre da gestação

Depois que voltamos do Brasil, na metade de fevereiro, já era hora de fazer o meu exame das 12 semanas. E diferente da gestação da Ana Julia, aqui eu posso fazer todos os exames no consultório da minha gineco. Lá em Jaraguá do Sul – SC eu fazia a consulta com o obstetra, no consultório dele, o exame de sangue em um laboratório e a ultrassonografia em um centro de imagem.

Outra diferença é que eu tinha a caderneta da gestação. Nela todas as minhas informações (peso, pressão arterial, diâmetro da barriga), mês a mês, eram anotadas e ela ficava comigo. Aqui eu não tenho esta caderneta e estas informações, assim como todos os resultados de exames, ficam com a minha médica (ah…aqui eles também não medem a circunferência da minha barriga).

Daí você pode se perguntar: “como você sabe se o resultado de algum exame foi bom ou ruim?”. Simples: a médica me liga para informar. Se foi bom, OK. Se não foi o resultado desejado, ela marca uma consulta para discutirmos sobre ele.

E já na consulta das 12 semanas, ganhei no consultório da minha obstetra uma caixa com brindes, revistas e cupons de desconto em sites e lojas de produtos para bebês. Esta é a caixa “mama”. Nos hospitais, quando o bebê nasce, as mães ganham a caixa “baby” com outros produtos, mais destinados aos filhos. Nesta que eu ganhei, as informações e brindes são mais para a gestante.

IMG_0527

Os brindes que vieram.
Os brindes que vieram.

Nesta consulta também foi feito o exame da prega nucal. E além dele, fiz um exame de sangue para saber o percentual de chances do meu bebê ter alguma síndrome. Minha médica falou que este exame é feito por todas as gestantes. No meu caso, como tenho 37 anos, seria mais importante ainda. Mas ele mostra só o percentual. Caso este valor seja alto, que apresente uma probabilidade grande do bebê ter alguma síndrome, eu posso fazer a coleta do líquido da placenta para ter certeza se isso acontecerá. Só que este último exame, o plano não cobre.

Mas a gineco me ligou no dia seguinte e disse que está tudo nos conformes com o bebê.

Ah..e se alguém me perguntar se tive enjoos, digo que não. Ainda bem que tive a sorte, como na primeira gestação, de não sentir nada, nada mesmo. Sempre consegui comer de tudo e nunca passal mal. Só a azia que anda acabando comigo. E o culpado? O chocolate. Uma tristeza para uma chocólatra como eu.

 

Se quiser acompanhar esta minha gestação, veja este post também:

A família vai aumentar!

*************************************************************

Aproveite para acompanhar o Pelo Mundo Blog pelas redes sociais:

Facebook
Twitter
Google +
Instagram

6 comentários em “O primeiro trimestre da gestação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *