A reforma sem fim

Quando alugamos o nosso apto, sabíamos que haveria uma reforma nele. Só não pensávamos que seria tão demorada e que nos daria tanta dor de cabeça. Pois bem, o início foi tudo bonito, começaram marcando uma reunião com os moradores para mostrar e explicar as modificações que iriam ser feitas. Também mandaram por correio o cronograma da obra, os prazos e as plantas de antes e depois da reforma. Tudo conforme o figurino, no melhor estilo organizado suíço. Eis que a obra começa em maio, quando derrubaram a sacada. Em pleno início de verão, a sacada tinha ido para o espaço. Tudo bem, pensamos, a obra vai começar cedo e terminar cedo. E como os suíços são super organizados, não teremos problemas. Foi quando sentimos na pele que toda regra tem sua exceção. E que exceção! A obra ainda não terminou, isto significa 6 meses de reforma. E um entra e sai daqui de casa infernal. Às vezes entram de 5 pessoas para vistoriar, fora que no início tocavam a campainha, entravam e iam pela casa como se eu fosse uma samambaia. Me sentia a mulher invisível, completamente ignorada. Mas comecei a ficar muito indignada. Eis que me rebelei. Primeiro, aqui tiramos os calçados para entrar nas casas (por questão de higiene e para não fazer barulho para os vizinhos de baixo). Foi então que coloquei um recado na porta do apto, em alemão, para que tirassem os sapatos para entrar. Chega de ficar limpando a sujeira deste povo. Depois, como a obra estava em andamento, os aquecedores foram desligados. Assim, os fungos começaram a aparecer com a vinda do outono. E nossa casa ficou preta de mofo. Em todos os cômodos tinha fungo. Um nojo!

Mofo atrás do aquecedor

Foi então que os responsáveis da obra nos deram um aquecedor e um desumidificador para diminuir os mofos. Mas não adiantava muito e ainda tínhamos que andar com o aquecedor a tira colo para aquecer os cômodos que estávamos. Uma droga! Só que os responsáveis pela obra resolveram limpar o mofo e acabaram estragando minha cortina. No outro dia, fui atrás e já mostrei o que tinha acontecido. Acabaram pagando uma cortina nova para mim. Era o mínimo! E claro que sempre era enviado um comunicado para informar o que iria ser feito e quando. Mas nunca foi cumprido o prazo, as datas. Nada….uma desorganização total. E eles, podendo aproveitar o verão para agilizar a obra, deixaram tudo para a última hora. O prazo de entrega é hoje, porém, ainda faltam algumas coisas. Aqui dentro de casa falta pintar a sala e colocar o roda pé. Lá fora, falta o acabamento de todo um lado do prédio e ainda arrumar a sacada e as persianas.

O andaime que está ao redor do prédio
A staubwand (esta parede de plástico) que está na nossa sala. Já tivemos uma no quarto também!

Nessa função toda, eu ainda ouvi bobagens de pedreiros. Teve um que me perguntou se eu trabalhava. Eu disse que não. Então ele me falou: “Ah, então só come e passeia!”. Teve outro, mais gentil pelo menos, me perguntou de onde eu era (o país), perguntou se minha família tava no Brasil, se eu tinha irmão…um interrogatório. Perguntou meu nome e por fim, minha idade. Falei para ele e ele ainda me disse que eu era bonita pelos 33 anos que eu tenho. Bah, na hora não sabia se agradecia ou se batia nele. Acabei agradecendo, mas eu tava tão indignada com a obra que nem achei graça na hora. E ainda depois ele se apresenta, sem eu precisar perguntar nada. Ele me diz: “Sou o Fulano (não lembro o nome dele mesmo) e vim do Kosovo.” Só podia ser estrangeiro para puxar tanta conversa. E para finalizar, ele ainda disse que conhecia um brasileiro que é filho de mãe brasileira e pai suíço. E elogiou este brasileiro, dizendo que ele é Tiptop(que em alemão significa: de primeira, muito legal, gente fina). Olha….eu não vejo a hora desta reforma terminar. Mas amanhã ainda tem uma invasão aqui em casa. Vem pintor, pessoal para colocar o roda pé e os que são responsáveis pela instalação das persianas. Ainda terei alguns dias de chateação, só espero ter um pouco de paciência para poder aguentar. A minha cara não é das melhores quando eles aparecem. E eles só sabem me dizer: “Agora falta pouco. Já vamos terminar!”. E eu não vejo a hora disso acontecer.

Um comentário em “A reforma sem fim

  • novembro 16, 2010 em 5:09 pm
    Permalink

    Amiga, que show….dei mta risada…imaginei cada cena….que loucura essa parede de “prástico” kkkkkkk, nesse fresquinho daí é tri legal…..aiaiaiaiai…fé amiga, a organização suiça vai falar mais alto…. E, até que está bonitinha pelos 33 anos…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk …Beijooooosssss

    Resposta
    • novembro 17, 2010 em 9:48 pm
      Permalink

      Tu riu pq não foi contigo né? Hahahaha mas agora eu tbém acho engraçado, mas na hora eu tinha vontade de arremessar pedreiros pela janela! Hahahaha

      Resposta
  • novembro 18, 2010 em 12:57 am
    Permalink

    Meuu Deus Pretinhaa … o paciência né!!! Ahhh adorei!!!

    Resposta
  • novembro 28, 2010 em 4:48 pm
    Permalink

    Ana do céu, que sufoco hein??? Dei muita risada aqui, mas sei como isso deve ter te incomodado… hehehe
    E agora, as obras enfim terminaram???
    Beijokas e saudades de ti, guria…..

    Resposta
    • novembro 29, 2010 em 3:07 pm
      Permalink

      Rafa….olha guria…agora eu já começo a rir de tudo isso…mas na hora eu juro que queria jogar os pedrega pela janela. Nossa, eu tava muito indignada. As obras ainda continuam, tá nevando e eles trabalhando lá fora. Agora estão terminando o lado da sala e da cozinha, fazendo o reboco da parede externa e os detalhes da sacada. O responsável me disse que terminam até dia 5 de dezembro, vamos ver. Mas aqui dentro será preciso ainda colocarem as persianas da sala e da cozinha. Aí depois sim, acabouuuuu!!!! Beijão…saudades!!

      Resposta
  • fevereiro 17, 2015 em 7:12 pm
    Permalink

    Da proxima vez que for alugar…take care com esses tais de Blockwhonung!!são velhos, necessitam reformas e em sua maioria você necessitara dividir maquina de lavar fora os vizinhos que as vezes tem uma indole duvidosa……btw…acredito que esta empresa de renovação era provavelmente de estrangeiro!!KKKK

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *